Domingo, 6 de Maio de 2007
...

 

De modo que entre as duas partes em que o ser se divide,

tem de existir um sistema infindável de fés recíprocas,

infindável como as imagens de um espelho reflectidas noutro espelho.»

 

Gonzalo Torriente Ballester, Don Juan



publicado por vbm às 12:40
link do post | comentar | favorito

4 comentários:
De Crayon a 27 de Maio de 2007 às 03:37
Não conheço a frase toda, ou mais da frase, para poder emitir uma opinião mais elaborada mas o que me surgiu como ideia, neste bocado de frase / sentença, não foi a complexidade (das várias imagens / fé ) mas sim um diluir dessa mesma fé que, na minha opinião, deveria ser tomada como um todo.

Ou seja, ou se tem fé ou não se tem fé...e dividi-la (como as imagens infindáveis de uma sucessão de espelhos) acaba por amputar essa fé se bem que se saiba que ela deve ser múltipla mas dentro da sua unidade e não o contrário que me parece ser o caso.


De vbm a 27 de Maio de 2007 às 13:32
Oi Crayon!
Ao tempo que não nos "víamos"! :) E, como sempre, o teu poder de análise e o versátil olhar para as coisas polemiza-as e vivifica-as :)

Mas, olha, eu quis aplicar a frase de Ballester ao caso de amor evocado pelo par cinéfilo do "Casablanca". E na intimidade desse afecto, a confiança mútua e o espelhamento de cada um no outro opera em modo de réplica vibratória infinda ou recorrente, digamos.

Se te referes ao indivíduo face à externalidade que o envolve, a fé é tão só o "hábito", ao modo de Hume, pelo que a repetição dos eventos há-de computar o número de vezes necessário para substituir no indivíduo a impressão de casualidade por uma convicção de causalidade, dependendo esse número (de repetições) da argúcia de cada um.

abraço,
vasco

(Agora, em fóruns, ando no Ex-Citador, onde me detestam ou ignoram, lol.)


De Crayon a 10 de Fevereiro de 2008 às 17:24
Pois é amigo Vasco:
as coisas correrarm mal lá no sapóide animalejo e tinhamos todas as condições materiais para voltarmos a ter bate-papos que mesmo pouco inteligentes da minha parte sempre diversificavam a cor das areias do tal sapóide deserto.

Mas não deixa de ser bastante apropriada essa tua resposta quando se fala de hábito e de Hume. Ainda não consegui arranjar coisa a que me habitue nem "ambiente" que me cause hábito.

Abraço

Daniel


De vbm a 6 de Agosto de 2008 às 09:05
Oi, Dan

Só hoje notei esta tua observação, desculpa lá.
Foi pena perder-se o Sapo, aquilo era giro
e por vezes instrutivo.

Não aprecio blogs, embora tenha este e o seu
homónimo no blogspot.

O fórum onde 'habito' é o excitador.net
mas embora tenha gente inteligente
perdem-se em gatos, cães e
achincalhamentos.

Falta-lhes um certo nível cívico.

Visito também o "A Sombra"
mas é pouco movimentado.

Enfim, o tempo sucede ao tempo
e outra animação virá.

Abraço,
vasco


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


posts recentes

...

...

Pascal & Espinosa # 2

Pascal & Espinosa # 1

...

Espinosa # 55

Espinosa # 54

Espinosa # 53

Espinosa # 52

Espinosa # 51

...

Espinosa # 50

Espinosa # 49

Espinosa # 48

Espinosa # 47

Espinosa # 46

...

A Caverna de Platão

Wittgenstein: Philosophic...

Ayer on Frege and Russell

arquivos

Setembro 2015

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

Dezembro 2003

Novembro 2003

tags

albert jacquard

ana de sousa

ana hatherly

ar rosa

astronomia

ayer

davidson

deleuze

dostoiévski

espinosa

eugénio de andrade

fiama

fotografia

françois miterrand

frege

gerard de constanze

gonzalo torriente ballester

hobbes

homero

hume

imagens

jl borges

khalil gibran

kripke

leibniz

maquiavel

nietzsche

pascal & espinosa

paul auster

paul valéry

peirce

philo-vídeos

platão

política

putnam

quine

rawls

russell

samuel beckett

sandra costa

scarlett johansson

searle

sophia de mello breyner

villaret

virgínia woolf

wittgenstein

todas as tags

favoritos

...

links
Míope, logo táctil. Gosto de ler e conversar, q.b. «Nada convem mais ao homem do que o seu semelhante.» Vasco
blogs SAPO
subscrever feeds